Resenha: Sábado à Noite, por Babi Dewet

Editora: Generale 

Páginas: 324

Ano de Publicação: 2012

ISBN: 8563993380

Onde encontrar: Livraria Cultura, Saraiva

“Esta é a história de um amor jovem, verdadeiro e conflitante. Amanda é a garota mais bonita do colégio – e também a mais popular -, e seu melhor amigo faz de tudo para arranjar encrenca e só anda com os maus elementos do pedaço: os marotos.

Por causa de um trabalho de Artes, Amanda acaba descobrindo que ela não é quem sempre achou que fosse. Ser a menina mais desejada talvez não seja tão bom assim…

Tudo ao seu redor começa a desmoronar quando uma paixão mal-resolvida volta à tona e sua lealdade é posta à prova. Seria um garoto mais importante que uma amiga?

Como se não bastasse, o diretor da escola resolve promover bailes aos sábados e convida uma misteriosa banda mascarada para tocar. Os músicos, além de muito talentosos, conseguem mexer com todos, até mesmo com Amanda e suas melhores amigas.

Quanto mistério para um simples baile! Mas as letras das músicas cantadas pela misteriosa banda dizem muito mais sobre ela e seus amores…

Como poderiam os músicos saber de tudo aquilo? Afinal, quem eram os mascarados de Sábado à noite? “

” Se lembra quando desenhei nossos nomes na areia e você disse que me amava? “

OK. Sem palavras para descrever esse livro! Sábado à Noite é com certeza um dos livros em que eu mais me envolvi na leitura. Dica de leitura: não se assuste com a quantidade de personagens que aparecem no início! É mesmo difícil lembrar de todos eles, mas no decorrer da história, cada um participa do seu jeitinho e mostra a sua personalidade, ficando bem mais fácil saber quem é quem.

Eu comprei o livro quando soube que SAN era uma fic. Fiquei super curiosa para saber como era a história e vivia me perguntando ” Como uma fic é tão boa que virou até livro? ” Acontece que isso é bem fácil de descobrir. Logo nas primeiras páginas, você vê como a Babi conseguiu transformar uma história que aparenta ser um bocado clichê e boba, em algo diferente, surpreendente e divertido.

Tudo começa quando o diretor do colégio decide realizar bailes na escola todos os sábados à noite e uma banda desconhecida e mascarada composta por músicos lindos aparece para roubar a atenção do público. As pessoas enlouquecem, quem seria a banda Scotty? De onde eles vieram? E por quê as letras das músicas que eles cantam parecem ser para mim? É isso o que passa na cabeça de Amanda, a personagem “principal”, que é a menina mais bonita e popular do colégio. Mesmo tendo todos os meninos em seus pés, Amanda se apaixona pelo único garoto que não devia sequer chegar perto, Daniel, uma ex paixonite de uma de suas amigas. Por falta de comunicação, Amanda pensa que sua amiga ainda está interessada no garoto, e por isso, se afasta dele. Por uma ironia do destino, Amanda e Daniel acabam ficando juntos em um trabalho de Artes, o que inevitavelmente os aproxima mais e mais.

Entre conversas femininas no telefone e partidas de video game na casa de Daniel, a história vai se desenvolvendo e o leitor consegue notar o lado dos dois, podendo muito bem escolher: Afinal, Amanda está certa ou errada?

Se você for do tipo de pessoa que gosta de ler coisas bem realistas, talvez esse livro não seja tão bom para você. SAN descreve o cotidiano de jovens como ninguém, falhando apenas em partes como dirigir, beber e o fato dos pais mal serem comentados no livro. Essas coisas eu ignorei, porquê li o livro como uma fic, e não como um livro mesmo.

O romance dos personagens é lindo e a melhor parte do livro é que não é aquela coisa melosa de triângulo amoroso, nem acaba ofuscando os outros personagens! Mesmo com a trama principal, a autora se preocupou em mostrar as histórias dos outros personagens, o que é bastante interessante, e eles não ficam apenas ocupando espaço e preenchendo folhas no livro.

Na minha opinião, ela fez a coisa certa mas pelos caminhos errados. A personalidade da Amanda me deixou COMPLETAMENTE irritada. Mimada e chatinha, aparenta ser o tipo de menina que eu não gosto, mas pelo menos ela vai melhorando no decorrer do livro e até ganhou a minha simpatia.

Sábado à Noite é um livro super lindo, que dá vontade de chorar, de rir, de gritar e de arranjar um namorado que toque algum instrumento! Impossível acabar o livro sem pedir mais!

Que tal dar uma chance para ele? Beatriz.

Anúncios

Um comentário sobre “Resenha: Sábado à Noite, por Babi Dewet

  1. Pingback: O que eu li em Julho de 2012! « tem que ser criativo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s