Entre aspas: O homem perfeito

DSCF6640
Iremos nos conhecer em uma livraria, provavelmente na Cultura. Ele estará atrás do último lançamento da série Os Instrumentos Mortais e fará uma piadinha sobre Crepúsculo quando seus olhos pousarem na capa, eu estarei no mesmo corredor e irei sorrir com o comentário. Ele vai me convidar para tomar um café. Ficaremos horas conversando e eu irei perceber como o seu cabelo castanho bagunçado cai em seu rosto de vez em quando e o movimento que ele faz com o pescoço para afastar os fios dos olhos ficará impresso na minha memória. Ele terá um sorrisinho de lado e eu acharei que o leve quebradinho em seu segundo dente é um charme. Ele será alto e terá um corpo bonito, nada de músculos muito grandes, mas o suficiente para que seus bíceps rocem quase imperceptíveis sob sua camiseta larga.
Ele terá uma beleza única, seus olhos serão tão profundos e envolventes quanto os de Patch, seu humor será ácido e sagaz como o de Jace, mas será tão real e apaixonante quanto St. Clair. Ele é brasileiro, mas sonha em conhecer o mundo inteiro, inclusive países esquecidos pelos roteiros de viagens. Ele sabe falar francês e minhas pernas irão vacilar na primeira vez que me disser “Je t’aime”.
Será inteligente e estará estudando algo ligado à informática, mas também tem paixão por livros e filmes. Iremos ao shopping todos os fins de semana, conheceremos todos os restaurantes exóticos da praça de alimentação e eu terei uma crise de riso quando ele começar a tossir com a pimenta da comida mexicana. Nosso restaurante favorito será japonês mas não abriremos mão de um hambúrguer de vez em quando. Depois, iremos ao cinema, um filme diferente por semana e não importa realmente qual vai ser por que ambos gostamos de qualquer um, pois apenas a sala de cinema já é uma atmosfera mágica para nós dois. Em um certo dia, ele me convidará para jogar boliche e ambos morreremos de rir com o quanto somos desajeitados e passaremos a competir para ver quem acerta mais a canaleta.
Ele é caseiro e não gosta de multidões e música muito alta, festas não lhe agradam então gostaremos muito de ficar em casa, juntos. O inverno passará a ser nossa estação do ano favorita. Assistiremos à muitas séries  embolados no sofá com um cobertor quentinho enquanto tomaremos chocolate quente e ele irá rir quando colocar um pouco de chantili no meu nariz. Escolheremos um livro e leremos em voz alta, revezando a cada capítulo e sua imitação de voz feminina me provocará risos. Sua voz será grave, mas doce e me trará uma sensação de paz e tranquilidade sempre que a escutar.
Será perfeito!
Mas perfeição não existe, então, percebo que não apenas o homem de meus sonhos é capaz de me fazer flutuar e me levar às nuvens. Olho em volta e vejo que o mundo real também trás possibilidades talvez não tão incríveis quanto a minha cabeça, mas reais e vívidas. Percebo que o cara da livraria pode estar na faculdade, no ônibus ou no mercado. Entendo que nada jamais será sempre como planejei mas que tudo pode ser muito melhor, ou pior. Mas, pelo menos, será real. E nesse momento eu preciso de um pouco de realidade.
Texto escrito por Amanda Inácio. Vi esse texto no blog Vinte e Poucos e simplesmente tive que postar. Parabéns para a autora. ♥
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s